quinta-feira, 16 de dezembro de 2010

Conheça um pouco sobre o mundo do Smooth Jazz

Eduque os seus ouvidos, aprenda a ouvir o smooth jazz e evite lesoes nos canais auditivos. Bem vindo.

O smooth jazz nada mais é do que um desdobramento natural do fusion, que dominou a cena do jazz durante os anos 70. Hoje em dia, o smooth jazz ou jazz contemporâneo é um dos gêneros que mais cresce dentro do jazz. Apesar de ser odiado pelos puristas, o smooth jazz tem nomes de peso entre seus seguidores, como por exemplo, Kenny g, George Benson, Bob James, David Sanborn, Lee Ritenour e Earl Klugh, Peter White, Andrew Words, Larry Carlton, Kirk Whalum, entre outros.

Alguns “craques” do smooth jazz

Os violinistas Greg Carmichael e Nick Webb têm duas décadas de estrada e diversos CDs. Misturando elementos da música flamenca e do fusion, a dupla tem conquistado os ouvintes do smooth jazz.

A primeira parceria entre o pianista Bob James e o violonista Earl Klugh aconteceu nos anos 80. Neste novo trabalho, lançado em 92, a dupla volta com um som muito parecido com o Fourplay, incluindo a participação do baterista Harvey Mason.

O projeto criado pelo saxofonista Kirk Whalum, o trompetista Rick Braun e o guitarrista Norman Brown têm um swing que arrebata qualquer pessoa. No repertório, versões para clássicos de The Drifters, Isley Brothers e Parliament.

Pouco conhecido do público, o trompetista Chris Botti começou a aparecer durante uma tournê com o cantor Sting. De lá para cá, seis anos se passaram e Chris Botti tornou-se um dos maiores fenômenos do smooth jazz. Para muitos, ele é a versão moderna do trompetista Chet Baker.

No fim dos anos 80, o pianista George Gershwin, arranjador e pianista norte-americano criou o selo GRP, que foi casa dos principais músicos de smooth jazz durante a década de 90. Neste disco, o pianista mostra uma vertente menos smooth jazz ao interpretar clássicos de Ira e George Gershwin.

Ao lado de Kenny G, o saxofonista David Sanborn é um dos mais bem sucedidos músicos do smooth jazz. Apesar de dizer que não é um músico deste movimento, Sanborn tem seu lugar entre os grandes do gênero.

Durante a década de 90 o grupo formado por Bob James, Nathan East, Lee Ritenour e Harvey Mason , ou simplesmente “Four Play” foi o principal expoente do smooth jazz. No seu primeiro disco, o grupo mostra o que quatro craques podem fazer juntos.
A tão esperada colaboração entre o guitarrista George Benson e o cantor Al Jarreau aconteceu finalmente em 2005. Aqui, os dois craques do smooth jazz mostram porque são respeitados até mesmo por ouvintes do jazz tradicional.

Pode parecer exagero, mas o saxofonista Grover Washington Jr. pode ser considerado o pai do smooth jazz. É claro que Washington Jr. não sabia, no fim dos anos 80, que ele estava tocando smooth jazz, mas estava. No disco Winelight, considerado essencial para entender a transição entre o fusion e o smooth, Grover mostra porque foi um dos mais influentes músicos de sua geração.

Amado e odiado. Esses são os sentimentos mais comuns quando se fala em Kenny G. Para os puristas ele é uma farsa, mas para quem é ouvinte de smooth jazz, Kenny G é um rei. Discussões a parte, mas no disco Live, que lançou o saxofonista ao estrelato, você poderá tirar as suas conclusões. Confirá sucessos como "Songbird" e "Silhouette".

Atualmente, o trompetista Rick Braun é uma das figuras mais importantes do smooth jazz. Com um som que mistura pop, funk e acid jazz, o músico é figura fácil nas principais listas de CDs mais vendidos de smooth jazz.

O saxofonista´Paul - Shilts' Weimar  é uma das figuras mais atuantes do smooth jazz. Seu currículo tem participações que vão desde Nancy Wilson e Mel Tormeem até Jamiroquai e Brand New Heavies. Além disso, é o fundador do grupo Down to the Bone, um dos expoentes da fusão smooth e acid jazz. No disco “See what happens”, você vai entender porque é tão bom ter a mente aberta para poder aproveitar um disco como este.

Considerado um dos responsáveis pelo nascimento do smooth jazz, o grupo norte-americano Spyro Gyra tem quase três décadas de carreiras e vários discos lançados. No disco “Morning dance”, você encontrará um dos principais trabalhos do grupo, considerado por muitos como o primeiro disco de smooth jazz lançado no mercado.

É muito fácil encontrar no mercado discos em homenagem a Tom Jobim, mas a escolha do repertório, os arranjos e os intérpretes fazem toda a diferença. Arranjado pelo guitarrista Lee Ritenour, o disco traz clássicos como "Águas de Março", "Dindi" e "Garota de Ipanema" interpretados por Oleta Adams, Dave Grusin, Herbie Hancock, entre outros.

O disco duplo “Casino Lights 99” pode ser usado como uma introdução ao smooth jazz. Gravado ao vivo, o ouvinte tem a oportunidade de conhecer de perto craques como Bob James, Kirk Whalum, Larry Carlton, Boney James, Fourplay, entre outros.

Aniceto Mateus Sabune
823843897

Sem comentários:

Publicar um comentário